Castigo, gestão do risco e da miséria: novos discursos da prisão na contemporaneidade

Download da Publicação

Com a falência do discurso ressocializador que marcou a modernidade, a contemporaneidade traz à tona outros discursos
em torno do encarceramento, produzindo mudanças nos sistemas jurídico-penais. Nesse sentido, e partindo do referencial
teórico-metodológico da análise institucional, o presente artigo realiza uma análise das funções ocupadas pela prisão na
contemporaneidade com relação ao público alvo desses equipamentos. Assim, a partir de nossa inserção em uma unidade
prisional do sistema prisional do Rio Grande do Norte, realizamos uma observação participante da rotina de trabalho dos agentes
penitenciários. Como resultados, apresentamos três analisadores para pensar a prisão: os híbridos prisão-abrigo, prisão-albergue
e prisão-masmorra. Tais analisadores revelam que a prisão na contemporaneidade adquire um caráter de equipamento híbrido,
ao articular as funções de punição, detenção provisória e gestão da miséria, colocando em xeque qualquer intenção reabilitadora.